Códigos de barras nada mais são do que o antigo número de série, mas agora à prova de erros. O sistema anterior, baseado apenas em números, podia facilmente ocasionar erros de leitura. Um oito, por exemplo, poderia parecer ao leitor um três em caso de falha de tinta no momento de impressão. Ou poderia parecer um zero. Imagine, em vez disso, a facilidade de confusão entre números que parecem estar apenas invertidos, como o seis e o nove.

Para reduzir drasticamente a incidência de erros, cada vez mais empresas em todo o mundo estão adotando o sistema de código de barras. Seu funcionamento é muito simples. A mesma quantidade de espaço horizontal é concedida a cada dígito do número do produto. Tal quantidade equivale a sete unidades. Para representar cada número de zero a nove, basta preencher o espaço de sete unidades com um padrão diferente de listras em preto e branco. Dessa forma, o número um é representado pelo posicionamento de duas listras brancas, duas pretas, duas brancas e uma listra preta, enquanto o número dois recebe o padrão de duas listras brancas, uma preta, duas brancas e duas listras pretas no final.

Agora que você matou essa charada, resta uma que pode assustar muitos empreendedores. Como é possível gerar códigos de barras exclusivos para um produto? Confira as etapas a seguir para ficar por dentro do que você deve fazer.

1) Tenha seu número exclusivo de código de barras

Antes de pensar em gerar códigos de barra, é preciso garantir que um identificador exclusivo seja atribuído a sua empresa. Trata-se de um prefixo que será atribuído a você pela empresa na qual você comprará o código de barras. Sua chave de identificação será única em todo o mundo, e poderá ser usada para fins de logística, identificação de produtos, localizações geográficas, representação de parceiros, ativos, promoções, controle interno e tudo o mais que você precisar.

2) Atribua seus números no código de barras

Ao receber seu prefixo, você está habilitado a atribuir códigos aos produtos que desejar. Isso pode ser feito em embalagens, caixas com mais e um item, filiais da empresa, local de fabricação e itens individuais, entre outros. Para começar, basta entrar em contato com a empresa que você vai fazer os códigos para descobrir quantos números podem ser atribuídos de acordo com a extensão de seu prefixo exclusivo.

3) Escolha um método para gerar códigos de barras

Há várias maneiras de gerar códigos de barras. Você pode escolher um aplicativo ou programa desenvolvido para essa finalidade, mas também pode optar por algo mais básico. É possível gerar códigos usando o programa Excel, da Microsoft. Você também tem a opção de fazer isso online, por meio de vários sites que geram códigos sem a necessidade de baixar programas.

4) Defina um processo de impressão de códigos de barras

Não há regra para que você escolha um método de impressão entre a ampla variedade disponível no mercado. Tomar uma decisão depende de se a informação contida no código de barras é estática (permanece igual) ou dinâmica (com variações). Para o primeiro caso, uma impressão direto na embalagem pode funcionar bem, assim como os processos tradicionais de impressão funcionam bem. Para códigos de barras dinâmicos, dê preferência para a impressão digital, ainda que em alguns casos ela possa ser combinada à uma técnica de pré-impressão.

Lembre-se de que a impressão depende muito do dispositivo usado para a leitura dos códigos de barra. Leve isso em consideração ao definir especificações como tamanho, tipo, posicionamento e qualidade de seus códigos de barra.

Outro aspecto que deve ser considerado aqui é a cor que você definiu como plano de fundo para suas etiquetas. Hoje em dia, é possível usar uma ampla variedade de cores na confecção dos rótulos. A maioria das empresas opta por fundos brancos ou claros, mas selecionar cores mais vibrantes também é possível.

5) Selecione a localização do código de barras no produto

Antes de definir o posicionamento do código de barras no item, leve em consideração o processo de embalagem. Consulte o responsável pelo processo para garantir que o código não tenha sua leitura comprometida ou prejudicada por detalhes da embalagem, como capas protetoras e abas de identificação da marca, entre outros.

A próxima consulta deve ser dirigida ao setor ou empresa responsável pela impressão do código. Alguns equipamentos exigem que o material a ser impresso seja posicionado de determinado lado ou voltado para uma posição pré-estabelecida. É importante ter isso em mente ao determinar o local que receberá a identificação do produto.

Planejar cada etapa da produção de seus códigos de barra é fundamental para garantir a eficácia do processo. Evite supor qualquer aspecto que seja em relação a seus códigos, a fim de evitar surpresas desagradáveis. Embora um erro possa ser corrigido in dependentemente de sua natureza, esse é um custo que pode ser evitado com um bom plano de implantação de códigos de barra.